quarta-feira, 8 de julho de 2015

VÍDEO E COMENTÁRIO " O Largo da Matriz de Campinas" (Goiânia,Goiás)


CAMPINAS (Bairro de Goiânia,GO ) : FAZ 205 ANOS !

Nesta semana se comemora os 205 anos de Campinas, que já foi Cidade e agora é um dos bairros mais movimentados de Goiânia,capital do Estado de Goiás,onde resido.
Foi exatamente em Campinas,na Rua Ademar Ferrugem,onde passei a morar,quando cheguei ,ainda pequeno,de nossa vinda  de Pernambuco.  Ali em Campinas,vivi um dos melhores períodos de minha vida,época em que estudei no primário(ensino fundamental) e no antigo Ginásio,equivalente ao ensino da 5ª até a 8ª série,que "fiz" ,a partir da 6ª série, no Colégio Pedro Gomes.Depois ainda tive um período em que trabalhei lá,quando o comércio ainda não era tão movimentado como hoje. Fui registrado e me casei no mesmo cartório "Antonio do Prado",em Campinas,na Praça Cel. Joaquim Lúcio,cujo neto conheci,já adulto e cheguei a trabalhar num Escritório com ele e o Juraci,nos anos noventa.
Foi ali,na Campininha que tive os primeiros passos de liberdade de menino,indo pescar,passear,comer frutas,beber caldo-de-cana , na Chácara do pai do Pedro(nosso colega de escola primária) e pude "roubar"umas mangas no quintal da D.Mariquinha.Ali,entre as Ruas Senador Morais Filho,Honestino Guimarães,Perimetral e Jaraguá,entre outras,passei bons momentos de "traquinágem infantil",e depois até de correria juvenil,na época da chamada Ditadura. Aí,no Colégio Pedro Gomes,assisti a parte dessa história da época do Regime Militar. Porém,da Infância,não posso me lastimar,pois aproveitei bastante,custoso que eu era,junto com os coleguinhas da Escola Primária.
Esse foi um período da vida do qual não me esquecerei. Dos amigos Vilmar,Valdomiro,Pedro,Wagner e outros,que formavam nossa "turminha".de meninos de calças-curtas,suspensórios,  de pés desclaços ou  de ki-chutes,nas nossas peladinhas de futebol,.
Lembro-me do Moisés da oficina,que consertava a camionete do meu tio Cícero. Lembro-me do "seo" Ataliba,que alugou a primeira casa para o meu pai. Do Cine Eldorado,na Rua Benjamim Constant,e que não existe mais. Do Cine Campinas,onde fui assistir ao primeiro filme acompanhado de uma namoradinha,fugindo da aula,num dia de semana. Lembro-me da Ciganinha,da Maria das Graças,da Siomara,e outras meninas,como a Cristina, que deve ter sido a paixão platônica e loura, dos meus  12 anos de idade. Lembro-me ,também, da Cecília, da Agda, e outras, da Escola Técnica,onde fiz a 5ª série ,antes de igressar no Pedro Gomes. Aí,lembro-me do Daniel Bentley,da Elzita Franco,do Carlos de Oliveira, da Alcione,e da Artemis,entre outros . E lembro-me,principalmente,da Igreja Matriz, a primeira,onde ainda pude ir ,na época toda de madeira,e fiz,o que se chamava de "primeira-comunhão",como Católico que sou. Cheguei a ver o Padre Pelágio ainda vivo,quando ainda eu era muito pequeno. Depois,minha mãe me disse quem ele era realmente...
Logo,não há como esquecer do Clube de Dança que ficava ao lado do Cine Campinas,onde já fui com as "amigas" ,já na época que morava na Cidade Jardim,nos primeiros anos de minha vida adulta.
Finalmente,não me esqueço da Novenas,às terças-feiras, à tarde,em que eu ia com minha mãe e a via cantar os hinos religiosos em latim, que ela aprendera de tanto ir na Igreja. As vezes,após a novena,íamos,eu e ela,assistir à Matineé,no Cine Eldorado. Me lembro de um filme que assisti com ela,com John Waine e que se chamava  "Norte do Alaska".
E não me esqueço do primeiro filme religioso,que assistí,com minha mãe também ,na Semana Santa, e que se chamava "A maior história de todos os tempos",sobre a vida de Jesus Cristo. Isto no ano de 1966. Confesso que não entendia  muita coisa,mas chorei com as cenas do Martírio de Cristo e a Crucificação.
Embora não tenha conhecimento de toda a história de Campinas,foi alí que entre os anos de 1961 a 1968 ,passei os meus primeiros anos de vida em Goiás,época em que meu pai tinha um comércio de sociedade com meu tio,na Avenida Anhanguera,perto de nossa casa e no caminho desta até a Escola Primária ,cuja sigla era GEMTB,da Prefeitura, sendo que foi das mãos do Prefeito Helio de Brito que recebi o Diploma do fundamental.
Até hoje,sempre que preciso,vou no Bairro de Campinas,mas não tenho amigos ou conhecidos por lá,a não ser alguns ex-clientes e amigos do Exercito,que ainda moram por lá. Hoje o comércio de tecidos,couro e eletrodomésticos tomou conta do Bairro,sendo um dos mais movimntados de Goiânia.O Passado,passou...
Porém,nem mesmo tanto progresso acabou com a tradição religiosa,que insiste em manter as novenas das terças-feiras,em louvor a Nossa Senhora de Perpétuo Socorro,lotando a Igreja Matriz o dia todo,que pude conferir recentemente.Parabéns para Campinas e para os seus moradores. E feliz sou eu,por relembrar todos estes momentos.

Redição 08 de julho de 2015
A.L.G.