quarta-feira, 25 de maio de 2011

A MORTE ANUNCIADA

Mais um defensor da Floresta Amazônica   foi assassinado. Mais um não ,dois,pois o  casal  de sindicalistas José Cláudio Ribeiro da Silva e sua mulher Maria do Espírito Santo,que denunciavam a exploração ilegal de madeiras e derrubada ilegal da floresta,no Estado do Pará, foram assassinados ontem 24/05/2011.
 Eles foram mortos por pistoleiros em emboscada,perto do assentamento rural onde moravam ,chamado de Praia Alta Pirandeira,às margens do lago da Usina Hidroelétrica de Tucurui, Estado do Pará,Brasil.            
Os dois,foram mortos nesta terça-feira, dia 24,coincidentemente no dia que os  Congressistas   da Câmara dos Deputados,aprovaram o novo texto do Código Florestal,contrariando os interesses do Governo,que provavelmente vai  vetar o Código, pois este texto aprovado, beneficia os fazendeiros, que já devastaram parte das matas brasileiras ,e não seriam multados ou punidos, com a desculpa de produção de grãos ou criação de gado,em locais onde a mata deveria ser preservada.
O Brasil tem um território imenso,não precisa fazer derrubada de madeira em lugar proibido. Basta escolher outros locais. E o Governo delimita as áreas de proteção ambiental,que não podem ser destruidas.
No caso do casal assassinado,provavelmente por pistoleiros a serviço de fazendeiros e madeireiros da região, eles tinham sido "avisados" ,quando dias atrás pessoas não conhecidas, mataram alguns de seus animais,dando a entender que deveriam parar com as denuncias  contra a devastação da  floresta e exploração ilegal de madeiras, que é feita  por  ordem destes grandes proprietários e madeireiros da região.  Ou seja, o trabalho denuncista deles,contrariava os interesses destes  poderosos .
Em uma determinada palestra, o líder morto tinha dito que, a qualquer hora, levaria um tiro em sua cabeça. Isto porque já tinha chegado aos seus ouvidos as ameaças dos proprietários denunciados.
Foi uma  "morte anunciada",por ele mesmo.
Isto nos  faz lembrar do Chico Mendes,morto há quase  23  anos atrás ( 22/12/1988) nas mesmas condições e pelos mesmos motivos. Chico Mendes chegou a fazer política,foi vereador e como defensor da floresta,foi assassinado em Xapuri,no Estado do Acre, onde morava.
 Chico Mendes chegou a ser premiado nos Estados Unidos, pela sua luta em defesa da Floresta Amazônica. Foi assassinado pouco antes de completar   44 anos de idade ,por pistoleiros a mando de fazendeiros. Estes foram presos e condenados.
E nos deixa claro que o poder dos proprietários de terras e madeireiros no Brasil  é muito  grande. De vez em quando,  aparecem estas "mortes encomendadas",como o da freira Norte Americana  Doroty Stang, em fevereiro de 2005, assassinada, igualmente,  por causa de seu trabalho  em favor dos que lutavam por terras e melhores condições de vida, também no Estado do Pará,Brasil.
 Lá,ela desenvolvia um trabalho social em favor dos mais carentes,assentados em terras de fazendeiros que não gostavam dessa idéia de "dividir" o que é deles....
Parece que ,em algumas regiões do Brasil, ainda agem como na época do Faroeste americano,que vivia sob a égide da "lei do mais forte", onde tudo se resolvia à base do revólver. Ou do  rifle.  Ou seja, à  bala!
Mas eles agem assim até hoje,e em muitos casos,usam da artilharia pesada e aviões superpotentes   para alcançar   seus objetivos excusos,matando pessoas inocentes com desculpas de que estão certos.
Evoluimos,o Brasil é a 7ª Potência  Mundial  ,em termos econômicos,mas ainda temos os "coronéis",proprietários de grandes áreas,grupos poderosos de exploradores de madeira,que mandam e desmandam na Região.
 Muitos nem residem lá, usam as terras para especular,ganhar mais dinheiro ainda. E beneficiam poucos .
Temos que nos indignar contra isso,denunciar e lutar,para acabar com essa"imágem" negativa que sai do Brasil para o resto do mundo...
ALG 25 de maio de 2011.