quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

A PARÁBOLA DO LENHADOR

Era uma vez um lenhador que levava uma vida muito miserável,com os escassos meios que lhe podia proporcionar a venda de uma carga diária de lenha tirada de um monte próximo.
 Uma vez,um Sannyâsin que passava por alí, viu-o a trabalhar e o aconselhou que fôsse mais para o interior do bosque,dizendo-lhe:
- "Adiante meu filho adiante".
O lenhador obedeceu  a indicação e continuou para adiante,até que encontrou uma árvore de sândalo e, pondo-se muito contente,levou consigo tanta madeira quanto pôde carregar ;vendeu-a no mercado e tirou dela muito proveito.
Então começou a  refletir : - Por quê  o bondoso Sannyâsin não lhe dissera nada do sândalo,contentando-se tão-somente a aconselhá-lo que seguisse adiante ?.....
No dia seguinte,o lenhador avançou mais para dentro da mata além da árvore do sândalo,até que chegou a encontrar uma mina de cobre ,da qual levou tanto material quanto pôde e que , vendido no mercado,lhe produziu muito dinheiro.
No próximo dia,sem se deter na mina de cobre,entrou ainda mais na mata,conforme lhe aconselhara o Sâdhu , encontrou uma mina de prata e, colhendo o quanto pôde levar,vendeu-a e obteve ainda mais dinheiro.
Assim,dia a dia,foi avançando cada vez mais longe na mata,até que encontrou  minas de ouro e minas de diamante e acabou por ficar imensamente rico.
Tal é também o caso do homem que aspira ao verdadeiro Conhecimento. Se não se detém em seu progresso,depois de haver  obtido alguns conhecimentos  extraordinários e sobrenaturais,chega,por fim,a ser verdadeiramente rico no conhecimento e na verdade.
Portanto, ide avante amigos e amigas . Não desistam nunca e nunca percam de vista  vosso ideal !
Segui adiante e não vos detenhais até que alcanceis a meta. Até conseguir realizar seu ideal de sabedoria...
Ao chegardes a um determinado ponto,não penseis já haver alcançado vossa jornada. A obra é só a primeira etapa dela.
Tende pois que o fazer obras, com caridade e com pleno desinteresse é sumamente dificultosos e portanto ,Bhakti Yoga, a senda do amor, é a melhor adaptada a esta idade, e que a obra,ainda desinteressada, não é o fim de vossa vida,senão simplesmente um meio para alcançardes  um fim .Assim,segui e não vos detenhais nunca,até que alcanceis o grande ideal de vossa vida : a realização de Deus !
(Do Livro "O Evangelho de Râmakrishna" -Ed.Pensamento, Brasil