segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

REDE GLOBO E O BIG BROTHER

Sempre achei que esta emissora,através de algumas novelas,tem influenciado o comportamento da população brasileira. E penso assim desde os meus 20 anos de idade. Não é coisa de influencia religiosa ou caretice minha não,pois aceito bem algumas mudanças de comportamento da sociedade. É preciso evoluir,crescer,socializar-se,adquirir conhecimentos ...
Porém,como muitos sabem,a televisão ,não só a Globo, como outras também,tem sua culpa pela manipulação da opinião publica e na divulgação dos modismos e novidades. Alguns bons, outros não.
Existem bons programas de televisão. Inclusive na Globo,que alguns jornalistas chamam de "zoiuda". A parte do jornalismo,apesar de ser tendencioso,em alguns casos, é bom. Alguns programas como Globo Repórter,Profissão Repórter e o Serginho Groisman,são bons.
E há novelas boas,como algumas dos horários da seis e da sete.
Porém as últimas novelas do horário das 9:00,principalmente estas do Manoel Carlos, além de ser umas "histórias manjadas",repetitivas, deixam no ar um cheiro de "dejavu", e repetem tanto alguns personágens que,à primeira vista, pensamos que é repetição de uma outra novela. Eu e minha família,por princípios e por termos outras opções,não vemos estas novelas da 9:00 (as que passam depois do Jornal Nacional).
Mas tem um programa que já está na 10ª edição, que é um desserviço à população. É esse tal de BIG BROTHER... Que tristeza ver uma nojeira desta ,ao vivo ,às vezes,penetrar pelos lares brasileiros,para crianças,jóvens e adolescentes verem. É uma pena ver o Pedro Bial,um jornalista que já foi correspondente em Londres, já escreveu livros e era do time dos "bons" da Globo,ficar conversando bobágens com estas mulheres (?) e homens (?) do Big Brother.
Então alguns dirão : "´Por que ver ? - É só desligar a TV ou mudar de Canal." -
É o que fazemos na nossa casa. Mas nem todos tem essa atitude e deixam os jóvens,crianças e adolescentes verem essas idiotices. E para que serve para nós ?- Para nada , respondo. É como se assistíssemos uma sala de uma casa de prostituição,com piranhas e gays conversando. Eu já vi essas cenas, alguns anos atrás,nos chamados "rendes-vouz"
Para os participantes,maquiavélicos e orientados pela direção do programa,serve para tentar ganhar um prêmio,ou ser conhecido na Mídia. Uns se dão bem,depois que acaba o programa,outros e outras , nem tanto. Mas para os telespectadores mal informados,para que serve ? -Para nada.
Desculpem os que se interssam em ver essas baboseiras, mas para mim é uma bobágem mesmo.Perda de tempo.
E há o lado pernicioso da história. Muitas destas participantes,por causa da mídia e da força da Globo,viram "modelos",ou melhor dizendo ,prostitutas de luxo ou "artistas",por um tempo. Depois somem ! Também os homens ficam conhecidos,aparecem por um tempo. E é só.
Não vou citar o nome,mas foi um ator da Globo mesmo que disse :" Como a televisão brasileira gosta de fabricar uma piranha..."
É uma pena que tenhamos um programa desse na televisão brasileira,com tanta promiscuidade e besteira no ar.
-Mas, que se pode fazer além de criticar,como eu faço?
O pior é que tem patrocínio alto...É rentável para a emissora...
Você poderá dizer :" Ver quem quer", com o que concordo. O problema é que,após ir ao ar,com várias chamadas na TV e passar em TV aberta para todo o Brasil ,o"estrago" já foi feito..
E fica no ar a idéia de que para se dar bem na vida tem que se expor,tirar a roupa ou ser maquiavélico. Para mim isto é disseminar a maldade e a esperteza para ganhar,para se dar bem , ser o primeiro. Seria uma extensão da antiga teoria do Gérson? Lembram-se de "você tem que levar vantágem em tudo ,certo ? " Era uma propaganda de cigarro...
Por meu lado acho que a Globo dissemina o mal em detrimento do bem,ao expor essa "Casa D'Irene" televisiva. Dissemina ,sobretudo a " prostituição visual",como já faz em algumas novelas,no "paparazzo" e em alguns outros programas da própria TV.
É pena que " dá ibope" um programa deste ,provando que a maioria da população brasaileira ainda está engatinhando em termos de conhecimento.
Como eu não posso mudar o mundo,deixo aqui a minha crítica e minha opinião sobre esta televisão e esse Big Brother,que nada acrescenta à cultura brasileira.
ALG -janeiro de 2010.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

SER OU NÃO SER ...EIS A QUESTÃO

Ontem um amigo me ligou à noite,contrariado,reclamando da vida,da solidão e das dificuldades de se viver sozinho na cidade grande,Falou ,inclusive das dificuldades de se manter firme,seguir em frente no mercado de trabalho,neste mundo capitalista moderno,de competição. Chegou a lamentar que a vida dele estava muito difícil como homem,que " tem horas que acha que deveria ter nascido mulher!"
Entendi o lado dele,já que recentemente havia sido preterido em uma ascenção ,ou promoção no trabalho,para assumir uma chefia,perdendo o cargo para uma mulher. E que ficou sabendo ainda que para ter sido ele o promovido,deveria ser casado. Era uma exigência do cargo de chefia. E ,apesar dele já ter sido casado três vezes,estava ,de novo,sozinho...Não deu muita sorte nessa "empreitada".
Obviamente que,como amigo,o ouvi atentamente e lhe falei algumas palavras de alento,para animá-lo. Depois,levei na brincadeira as suas "lamúrias" e tentei demonstrar que ,apesar de tudo,ser homem é muito melhor... e muito mais fácil. Pelo menos essa é a minha opinião.
É claro que atualmente as mulheres estão em alta,inclusive em empregos e em algumas atividades,na área de prestação de serviço,ensino,etc. Até nos concursos,pois são mais estudiosas,mais dedicadas e organizadas.
Porém, lhe disse da importância das mulheres para nós todos e para a sociedade. Afinal,sem elas,nem nascemos. Só a mulher tem o dom para ser mãe, algumas são perfeitas nestes mister. Obviamente que há exceções.
Brinquei com meu amigo,dizendo a ele que as mulheres têm "incômodos" mensais que nós homens não temos. E elas ainda conseguem trabalhar nestes períodos...
- Já pensou se você fosse mulher,com esse visual e esse corpão... Disse eu a ele. (meu amigo é gordo mesmo). E ainda lhe falei :- Já pensou você grávido ? Ele riu.
Contudo,tirando as brincadeiras de lado, as mulheres merecem todo o nosso respeito,pois são corajosas e determinadas,além do que muitas,têm jornada tripla,para cuidar de casa,filhos e trabalho. Agora não mais existem aquelas,como nossas mães,que ficavam "à disposição" dos maridos. A luta agora é pelo trabalho e pelo dinheiro.
De qualquer forma,as mulheres são mais bonitas,agradáveis,sorridentes. E a maioria é interessada pelo trabalho,pelo sucesso .
Gosto de vê-las bonitas,bem vestidas . O difícil é a convivência com elas ,em casa. Sou testemunha disso !
Já por seu lado,as mulheres reclamam que é difícil se manter em forma,bonita. Uma amiga minha,ao chegar ao trabalho atrasada,me confidenciou que "é difícil ser mulher" ,acordar cedinho,"se arrumar" e chegar pronta para enfentar o dia a dia.
Cada um reclama de seu ponto de vista. Mas ela não queria ser homem . Apenas reclamou de sua condição feminina, e as exigências da sociedade de consumo.
Voltando ao meu amigo,"confortei" ele com palavras,pelo telefone,pois afinal ele,com apenas 38 anos,já estava descontente com a vida,se sentindo só e com dificuldades de enfrentar os "problemas do dia a dia". Logo ele,que já tinha se casado três vezes,mas não tem filhos nem mulher,pelo menos por enquanto.
Convencí-o (acho) a não querer ser mulher...com a alegação de que ser homem é mais fácil. Falei para ele até da facilidade que temos em nos preparar para o trabalho ou para sair... Enquanto as mulheres têm de se "produzir", inclusive,para chamar à atenção de outras mulheres,que são as que olham todos os detalhes...como roupa,acessórios,etc.
Para as mulheres,tudo é mais complicado,mais dispendidoso. Usam coisas que nós homens nunca iremos usar. Mas são interessantes por isso. E há todo o mistério da áurea e da alma feminina. São elas que completam nossa existência.
Não queira entendê-las.
Richard Burton,após se casar duas vezes com Elizabeth Taylor,se divorciar duas vezes dela e a convivência com outras mulheres,confidenciou :" Não entendo as mulheres !"... Nem eu,digo agora.
Penso que para conviver bem com elas é preciso respeitar e aceitar as diferenças.
Quanto ao meu amigo,mais aliviado e sorrindo,me disse no final da conversa que ia à luta,procurar uma companheira e tentar se adequear a essa exigência,que lhe fizeram no trabalho. Ou seja, para ser promovido,deveria ser casado...ou ser mulher !
Mas ele me disse que vai continuar sendo homem mesmo, "apesar de tudo".
Quanto a mim,que convivo bem com as mulheres, agradeço a elas por me "deixarem" agir como homem.
ALG janeiro de 2010