quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

4 X 3 É IGUAL A 12 . E 3 X 4, É IGUAL A 11 ?

Quando eu estudava ainda no Ensino Fundamental (que na época era 5ª série do antigo Curso Ginasial) ,numa Escola denominada Escola Técnica de Comércio,em Goiânia,GO,eu tive uma turma de colegas interessantes,entre meninos e meninas.
Éramos todos adolescentes entre 11 e 14 anos de idade,(muitos de nós crianças ainda) e eu,por ter me atrasado nos estudos devido às mudanças de cidades que fiz junto com minha família,mesmo já estando prestes a completar 14 anos,eu ainda estava nesta tal 5 ª série do Ensino dito hoje fundamental. 
A maioria de meus colegas,meninos e meninas,eram mais novos que eu.
Neste determinado ano em que cursei a 5ª série do chamado 1º grau,(hoje dizem 1ª fase do ensino fundamental)foi o único ano de minha vida que eu estudei em escola particular paga. Meu pai,meio a contra-gosto,pagava as mensalidades,mas sempre me dizia que eu deveria ir para a Escola Pública. 
Nesse tempo,muitos queriam fazer o tal Exame de Admissão para um bom Colégio Estadual que tinha em Goiânia,GO,onde eu morava na época. E ele,o meu pai,me incentivava a entrar nesse Colégio,considerado "top" entre os professores e estudantes da época. 
Eram três as escolas da moda na época em Goiânia :  O Liceu de Goiânia; A Escola Técnica Federal e o Colégio Pedro Gomes,no bairro de Campinas,mais perto de onde eu morava com minha família, e onde eu viria a estudar depois.
Meu pai,mesmo sendo comerciante,não gostava de pagar mensalidade escolar para mim. Ele não deixou minhas irmãs  estudarem (uma mais velha e outra mais nova que eu). 
Ele dizia que moças eram para casar e na Escola iriam só namorar !
Mas,nesta deteminada Escola onde estudei, a Escola Técnica de Comércio de Campinas,Goiânia,GO, eu tinha umas colegas bem bonitas e interessantes. E uns colegas meninos, custosos. Me lembro da Águida,da Cristina(lourinha),da Ana, da Marlene,  da Antônia e da Cecília Chaves(que era uma moreninha bonita de uns 12 anos que quase foi minha namorada e morava bem perto de minha casa), entre outras.
E também de Colegas meninos, como o Anfilóquio, o Vagner,o Lourival...e de um colega especial,brincalhão, que era o Antônio Alberto Medrado. 
-Este era bem custoso. Magrelo,engraçado ! 
E tinha também um professor engraçado,que dava aulas até cantando, o Prof Arnóbio, que havia sido ex-seminarista e que deixou a batina,se casou e virou professor. Era um de nossos professores nesta Escola tradicional do bairro de Campinas.
Numa certa ocasião em que ele nos ensinava matemática,( naquele tempo tinha ainda as tabuadas e as provas orais) ,este professor,fazendo uma revisão de tudo que tínhamos aprendido até então,fez de supetão, numa aula normal,uma prova oral com todos os alunos.
Neste dia ele pôs os alunos a fazerem contas,equações e demais cálculos no quadro também, ou simplesmente perguntou coisas primárias da matémática, como a multiplicação,a soma, a divisão,etc. 
Era uma revisão geral,para nos ajudar a fazer o tal Exame de Admissão, que iríamos fazer para poder entrar num outro Colégio. Como eu fiz,alías. 
-Fiz e passei !
E numa destas "provas" orais, esse Prof. Arnóbio foi até o meu colega Antonio Alberto Medrado e lhe perguntou :
-"Medrado,quanto é 4 X 3 ? "
Ao que o Medrado respondeu:
-"É claro que é 12 ,professor !"
E em seguida,para testar ainda mais o meu colega de classe,o Prof. Arnóbio perguntou:
-" E 3 X 4 " ,quanto é ?"
Então,para espanto de todos na sala,o Medrado disse,em alto e bom som, que "3 X 4 era igual a 11,pois o primeiro número é menor em uma unidade e por isso o resultado da multiplicação diminuía também em uma unidade". 
-Ou seja, para o meu colega de classe,o Medrado, 4 X 3 era = 12. porém, 3X 4 era = 11 .
Todos riram.Uns fizeram o tal "bulling" com ele,chamando-o de burro,etc. Nada agressivo demais. 
E o professor Arnóbio,baiano,baixinho e engraçado,que até cantava na sala de aula para nos facilitar o entendimento da matemática,ficou louco. Gritou,berrou : 
-" Não é possível uma coisa destas Medrado ?" 
-Ele falou para todos ouvirem.
E concluiu:
 -"Será que eu ensinei errado ?"
Logo ele, que era um bom professor e achava que tinha passado bem os ensinamentos para todos nós ?
Passado esse momento de espanto e nervosismo e questionando por mais de uma vez se o aluno Medrado estava certo de suas respostas, o Prof.Arnóbio passou uma espécie de "castigo" para esse meu colega: Ele teria de escrever 2 mil vezes aquela operação matémática. Só que tinha de fazer com o resultado certo.
Ou seja,o Medrado teria de escrever,em folhas de papéis pautados ,as duas operações : 3 X 4 = a 12  E que 3 X 4 = a 12. Também. 
Pois, afinal de contas isso é o certo. Esse é o resultado certo !
E o Medrado,para não ser reprovado fez o castigo,ou seja, a "tarefa" determinada pelo Prof. Arnóbio. 
No dia em que o Medrado entregou o "trabalho" ,com tais operações matemáticas feitas à mão , e estando o Prof. Arnóbio com estas folhas  em  mãos, disse :
-"Então Medrado, agora você aprendeu  que tanto 4 X 3 ,quanto 3 X 4 , é igual a 12,não é mesmo  ?"
E o Medrado,lá do fundão da sala ainda arriscou dizer :
"O Sr que está dizendo Prof. ,mas eu tenho minhas dúvidas !"
Todos riram na sala de aula e o Prof Arnóbio, que era muito legal,foi ao encontro do Medrado com a mão levantada,como quem dizia:"Eu te mato, menino ! "
Apesar de fazer mais de 40 anos deste acontecido,eu me lembrei dessa história real hoje,pois vi falar nesta Escola onde estudei,pois lá vai haver votação nas eleições de outubro deste ano de 2016.
E,antes que me esqueça, o Antonio Medrado,depois de  uns seis ou sete anos,veio a ser meu colega no Exército,só que ele era de uma outra "Cia".  E depois, eu soube que ele entrou na Polícia Civil.
Já o Prof Arnóbio de França Campos,por uma destas coincidências da vida,uns 12 anos depois,veio a ser meu colega do Curso de Direito,na faculdade, e se lembrou de mim como seu aluno do 1º Grau e dessa história aqui contada. 
-Ficamos amigos.E, até hoje em dia, o vejo pelas ruas de Goiânia. É advogado militante no Fórum ...

Conto Original de Antônio Gomes.
(Será parte integrante de meu livro "Os Retratos da Vida II" a ser publicado em 2017).

Reedição :16 de fevereiro de 2017.