quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

LEMBRANÇAS DE UM NATAL

Toda vez que chega esta época do ano, chuvosa e cheia de expectativas para o  Ano Novo, fico mais feliz, e esperançoso, como a maioria das pessoas. Tudo é muito bonito: as luzes, as cores e o clima festivo de final de ano,sem contar com as músicas natalinas,que sempre me trazem boas lembranças de natais passados. 
A música do John Lennon "Merry Christmas" marcou um destes Natais.  São lembranças boas de outros Natais e de situações,que rememoro aqui...
Destes me lembro bem, e destaco um deles,quando eu trabalhava na Casa Silva, uma loja de Tecidos e variedades,na Cidade Jardim, em Goiânia,Go. Foi um tempo em que convivi com várias pessoas de minha idade,muitos cheios de projetos, sonhos e alegria. A maioria estava estudando para ser "alguém" na vida,como se diz. Passar no Vestibular era a meta.
Este tempo do qual falo era o mesmo período em que eu também me preparava para o vestibular de Direito,nos finais dos anos 70 e começo dos anos 80. Isto mesmo: enquanto estudava ,trabalhava nessa Loja, onde também trabalharam duas irmãs minha e um irmão . Éramos como parentes do proprietário, que sempre me chamava para trabalhar lá. A Primeira vez que trabalhei lá tinha 16 anos de idade. Tanto que, até no período em que estive no Serviço Militar (Exército) ia lá trabalhar nos domingos nos quais eu não estava no Plantão, no quartel.  Ali ,nesta loja, trabalhei até mesmo quando "fazia" o Curso de Direito. E sempre nos finais de ano,mesmo depois de sair formalmente da loja, era convidado pelo Sr. José Silva ("José Mago") a ir ajudar nas vendas, inclusive para "ganhar um extra". E era bom estar ali,entre aqueles amigos e amigas., pois melhorava meu final de ano,á que eu era bem solitário.
 Depois fui me afastando,naturalmente,em virtude novos amigos que fizera na faculdade. Mas nunca esqueci daquele feliz ambiente, alegre e de companheirismo, situado na Rua Gomes do Nascimento, na "Cidade Jardim de Deus",como dizia o Eurípedes,meu amigo de muitos anos...
Ali era meu "ponto de partida" para fazer amigos,sair para o futebol de salão ou para combinar as festinhas de finais de semana,que em cada sábado acontecia na casa de um dos amigos ou amigas. 
Aí eu destaco a casa da Carmem ,onde haviam muitas "moças" e sempre fazíamos os "encontros" semanais. E não posso esquecer da casa da Beth, com quem fiz amizade mesmo e sempre a visitava, mesmo depois desse período natalino. A Beth era amiga mesmo, uma coisa difícil entre homens e mulheres. Eu ia lá,com o objetivo de ,depois na Casa da Carmem. 
Participavam desta turma a Milia e a Rosa,minhas irmãs; a Carmem, a Bete, a Hilda, a Maria Aparecida, a Malba, a Hildinha, o Eurípedes, o Afrânio (este companheiro de quartel) e às vezes o Luis Antonio (amigo do Exército) e outros, que eram amigos delas. 
Tinha ainda as primas da Carmem,muitas das quais iam nestas "festinhas" familiares que fazíamos. Algumas vinham do interior e lá se hospedavam,com objetivo de estudar. Era um ritual: cada sábado ,na casa de um amigo ou de uma amiga.... A Família toda participava. Levávamos até "conjunto" ou banda para tocar,para ,"animar a festa".Tudo bem planejado,organizado.
Mas foi na Loja  Silva , no período do Natal anterior, de 1976 ,que conheci a Ana Maria,uma jovem de 15 anos apenas e que nem sei porque,se interessou por mim. E eu por ela. Foram pouco mais de três meses, num convívio de final de ano e começo de outro, no qual trabalhamos juntos nesta mesma loja. Já em 77, Foi um Natal especial, no qual eu tive a boa notícia de ter passado no Vestibular de Direito, na Faculdade Anhanguera, período no qual a Ana, vez ou outra, estava sempre comigo. Ela ainda estava no 2º grau. Chegamos a iniciar um namoro,que terminou no mesmo mês em que eu ia assistir as primeiras aulas  da Faculdade. Acho que foi uma amor platônico.Não como as pessoas namoram hoje em dia... 
Brigamos por pouca coisa, mas não ficamos inimigos.Trabalhamos juntos ainda em 78, e começo de 79. E a vi no ano de 1980, quando ela estava para se casar. Tinha apenas 18 anos de idade, creio. Depois ela sumiu por 12 anos.
Mas, um belo dia de março do ano de 1992,ela me "achou" na Rua 3, centro,quando passamos a nos ver de novo,devido ao meu trabalho. 
Ela estava à minha procura,disse. Precisava de mim,profissionalmente...
E não nos afastamos em definitivo,pois voltamos a nos encontrar outras vezes e depois ela, já separada, me procurou para eu ajudá-la a resolver um problema familiar na Justiça.
 A Ana "marcou", como dizem alguns. Era muito bom estar com ela, conversar com ela...
 Ou vê-la, simplesmente. 
Mas naquele Natal passamos juntos,pelo menos até a véspera ,dia 24,pois no dia "d",fui a um noivado, o do Evangelista numa fazenda no interior de Goiás,com a turma do setor onde eu morava .Nesta festa de noivado na roça comemos leitoa assada e tomamos vinho até a madrugada.... Até "passar mal",eu diria... 
E este meu amigo Evangelista,depois ingressou na Polícia Federal,como escrivão concursado E ele se foi,antes do combinado,num acidente no ambiente de trabalho dele,em 1991.
Mas ficou marcado este Natal de 77,onde nós todos muitos jovens ainda, vivíamos a vida alegre de pessoas sadias em busca de melhores dias,estudando e trabalhando,sempre com as mesmas pessoas a nos rodear. 
Muitas destas minhas amigas eram "feministas",que defendiam a liberdade da mulher para o trabalho, para o estudo, coisas muito comuns hoje em dia .
A Maria Aparecida e a Carmem também se formaram,antes mesmo de mim.  De todas a que marcou mais foi a Beth, que se formou em jornalismo e levou adiante este seu projeto de mulher livre,independente. 
-Acho que até hoje...
Esta foi minha confidente, e eu dela,por muitos anos. Depois,nos afastamos.Hoje nem sei onde ela "anda",se casou,se teve filhos...
Além do mais,nos finais de ano, tinha todas aquelas brincadeiras de "amigo secreto", de festas,de casamentos.
Aqui já não se trata de brincadeira,pois casamento é coisa séria . Um deles foi o do João Divino,meu amigo Militar que se casou neste final de 77 . Não me esqueço que fui a este seu casamento com a Selma,uma loira bonita de 16 anos com quem eu sempre fazia brincadeiras. Ela era vizinha de Loja, (Casa Selma ),e passava "desfilando",para a gente. Nesta ocasião cheguei a dizer à Selma que o nosso seria o próximo casamento. Ela quase acreditou. Infelizmente o João, que chegou a ser Coronel,e que continuou meu amigo por muitos anos,também partiu antes do combinado,em 2007.  A Selma,com quem fui no casamento do João Divino Lourenço , ainda foi na minha casa umas vezes. Mas depois ,sumiu...
-Acho que hoje é comerciante,como era a sua mãe.
Mas  o que ficou foi mesmo a amizade, da turma da Loja : da Maria José, do Joãozinho,do Joacir, das meninas Glaides e Marleide, e da outra Selma,que trabalhou comigo na mesma na loja, e me deu um livro do Gibran  Kalil Gibram,que guardo até  hoje. E não posso me esquecer da Geni Nishi, uma japonesinha que era minha fã,e eu nem sabia,e que foi a minha "amiga não tão secreta" assim ,nesta brincadeira de Natal ,e que depois se mudou com a família,em definitivo...
-Não a vi mais.
De tudo ficou a Lembrança desse Natal, do Casamento do Tenente João Divino, na Capela do Santa Clara,em Campinas, Goiânia, em 77. E  da Selma loira; da Maria José da Loja,hoje professora universitária; da Balçanir que casou com o João. E do outro casamento que fui, do irmão do Mi (Arouca), no Ateneu Dom Bosco,o qual fui também com a Selma loira, para mim ,uma mistura de "interesse" e amizade e da vez que ficamos juntos no Goiânia Tênis Clube.. .
-Não dá para esquecer! 
E não me esqueço principalmente da Ana Maria, com quem "quase" namorei  de verdade e da qual nunca me esqueci. Esta é a do quadro,que dei e busquei de volta, e que contei em outra estória,no ano passado.Pintei um quadro para ela, e tomei de volta. Mas ela não ficou totalmente" brigada" comigo. Ficou magoada,por certo. Mas entendeu ou aceitou aquele meu ato idiota.
Conto esta e outras históriaas no meu Livro " O Amor tem Muitas Faces" que publiquei em 2015 pelo Clube de Autores.
Esta foi especial. Também anda sumida,pois desde 2001 não tenho encontrado com ela.  A última vez que a vi foi no seu trabalho,perto da Alameda das Rosas,ao lado do Lago das Rosas. Depois, entre 1997 e 2001, ela foi,outras vezes até o meu Escritório, no centro.Acho que ela não mora mais perto da Alameda das Rosas. Soube que ela foi morar por uns tempos com um dos filhos,no Canadá.
 Mas,  na Alameda das Rosas ou na Alameda da Poesia ", por quem sonha Ana Maria" ?
 Para ela escrevi até um conto,publicado  no jornal  "O Popular",daqui de Goiânia. Este jornal ela me "tomou",quando foi em minha casa,numa outra situação,tempos depois,mas ainda quando ela trabalhava  na citada  Loja .
Onde anda você Ana Maria Gonçalves ? 
-Lembra daquele filme que vimos, num reencontro nosso,alguns anos depois..(1996?).
Acho que no dia de seu aniversário. Lembra do nome dele  ?  "Era Marcas de um Passado" ?
-Não sei ao certo se era esse mesmo o nome do filme, mas me lembro do Dennis Quaid e da Meg Rian, como os Atores principais. Lembra do disco que lhe dei , "Ao Mestre com Carinho",com a música da "Lulu", do filme com o Sidney Poitier ? Este não lhe tomei de volta. 
-Deve estar com você,espero...
Assim,ficou a lembrança deste Natal,com todas as suas nuances,pompas e circunstâncias. E não posso esquecer do Show do Roberto Carlos na TV,que assiti,algumas vezes na casa de algumas destas amigas...
Estes eram os "ingredientes" destes Natais felizes dos anos 70 e 80.
Talvez sem muita pompa, mas tudo muito saudável, alegre e feliz, como éramos todos nós,naquele ambiente de jovens, todos entre 15 a 23 anos,e alguns com mais um pouco,mas sempre jovens no coração...
Foi sem dúvida um Natal muito feliz para todos.
 Inesquecível, para mim, eu diria...
...........................................................

Original de : Antônio Gomes   
Reedição em: 22 de Dezembro de 2016.