segunda-feira, 4 de abril de 2016

COMO EU CONHECI O "MESSIAS" .

Nesta minha vida profissional e particular já passei por várias fases interessantes. Uma delas foi num período que vai de 1993 a 1998,ocasião em que,além de ter como clientes pessoas físicas,também trabalhei para firmas e algumas associações,ou entidades sem fins lucrativos ,como uma determinada organização religiosa, que seus associados denominavam de "Igreja".
E era uma Igreja realmente,mas destas que se enquadram na chamada denominação neo-pentecostal,onde objetivam muito mais arrecadar dinheiro, do que propriamente difundir a religião,ou os ensinamentos bíblicos e desenvolver o lado espiritual das pessoas.
Esta "Igreja" era bem fraquinha financeiramente por assim dizer,pois estava começando por aqui. E segundo eu soube, sua "matriz" tinha sede em Belo Horizonte -M.G. 
-Era de lá que o Presidente da Associação que administrava a Igreja dava as coordenadas para que o Pastor da cidade em que eu morava, (Goiânia,GO),organizasse sua "filial" e fizesse a cabeça dos fiéis. Estas coisas de lavagem cerebral que algumas igrejas fazem para que os frequentadores paguem dízimo e convençam outras pessoas que lá,naquela Igreja, acontecem milagres,a pessoa melhora de vida, etc.
Nesta época era confusa a maneira deles conduzir a Igreja que, embora se denominasse como Evangélica,tinha alguns rituais parecidos com a Igreja católica,como novenas, cruz,velas,etc.
Também lá já difundiam a tal "Teologia da Prosperidade" muito em voga hoje em dia em algumas Igrejas evangélicas. 
Porém, esta para qual eu trabalhava ,era uma Igreja de fiéis ou "clientes" pobres e o dinheiro era escasso.
 Ou seja, as "contribuições" ou dízimos pagos pelos frequentadores eram poucos.
Eu pessoalmente sou contra esse negócio de ficar dando muito dinheiro para Igrejas e Pastores. A gente deve ajudar, pois a igreja precisa se manter,mas nada de dízimo de dez por cento.
-Deus não precisa de dinheiro.
Eu trabalhava diretamente com o Pastor,que eles chamavam de "Bispo". Só que este Pastor (ou Bispo) e sua própria Igreja tinham problemas judiciais e foi ai que passei a ser o Assessor Jurídico deles. 
Eles me pagavam direitinho,não posso reclamar. Eu cobrava por mês e sempre recebia meus honorários. Foi um dinheiro ganho com muito trabalho,não enganei ninguém. E foi muito útil para ajudar em minhas despesas de casa. Pagar contas,etc.
E para desenvolver meu trabalho,obviamente,eu tinha de ir até o Pastor,que muitas vezes eu encontrava na Igreja mesmo,em horário comercial.
Foi nestas idas e vindas  na Igreja, nas horas fora dos horários de cultos, que observei que haviam muitas muletas penduradas na parede. Isto me deixou curioso,perplexo. 
Então  perguntei ao pastor:
-"Estas muletas eram de fiéis da Igreja,que passaram a andar sem elas? 
E completei: 
-Ocorrem milagres aqui ? 
Lógico que havia ceticismo em minhas palavras,pois sempre desconfiei de milagres fáceis. Milagres acontecem... mas, só de vez em quando !
Milagre todo dia só na "Igreja Mundial do Poder de Deus" do "Apostolo" Valdemiro Santiago. 
Eles que dizem isto...
E o Pastor para quem eu trabalhava,sabendo da minha incredulidade e por ser eu de uma outra religião que a deles, me disse:
- " Isto faz parte do negócio" ! ...
Eu falei que entendia e não mais toquei no assunto. Lógico que aquelas muletas serviam para a encenação dos cultos e para dizer que milagres ocorriam ali. 
-Em resumo,era uma maneira de enganar os fiéis. Como aliás,ocorre em outras denominações.
Não questionei mais e durante alguns anos trabalhei para eles apenas como advogado sem me adentrar nos aspectos da Religião ou dos comportamentos deles ( dos Administradores da Igreja) e das formas que usavam para convencer fiéis.
Fiz amizade com várias pessoas desta Igreja,entre elas com o próprio  Bispo, que eu defendi em causas judiciais,no fórum de Goiânia. E fiz amizade até com uma secretária deles que estudava direito e muito se interessava pelo meu trabalho. 
-Conversávamos muito,sempre que eu ia lá.
Também, neste tempo, eles se utilizavam da mídia para propagar a Igreja. Pagavam horários na TV e no Rádio.
 É uma forma de propaganda,logicamente.
Foi ai que apareceu uma figura incrível ,entre os pastores que eles traziam de fora para a Igreja desta cidade onde eu morava. 
Era uma figura diferente,parecia um "hippie" daqueles dos anos 60 '. 
Era alto,magro,cabeludo e barbudo. Tinha pouco mais de 30 anos de idade.
Eles o denominavam, de "MESSIAS" e ele era,na verdade ,mais um dos membros da mesma Igreja,mas que tinha uma missão diferente  da que o Pastor com quem eu trabalhava. Ele era um pregador nato e fazia os programas de rádio,com muita ênfase, arrebatador ,barulhento, tentando convencer as pessoas de que na sua Igreja os milagres aconteciam realmente. 
Eu não fui nos cultos que ele ministrava,que era em um outro prédio (uma igreja/filial) sem ser no prédio no qual eu me encontrava  com o pastor que me contratara. Mas algumas pessoas me disseram que ele fazia uma encenação danada,com sua túnica,sua barba e cabelos longos. 
Era ele ,por assim dizer,o "Messias" do século XX. E propagavam isto nos cultos e nos progrmas de rádio. Já na TV era o Bispo para o qual eu trabalhava que fazia o programa. Mas  este era um programa mais discreto, pregando mesmo a palavra da Bíblia.
E acho que,na época, eles convenceram muitas pessoas a irem até a sua Igreja.
Na verdade estas pessoas que iam a esta Igreja eram como estes "seguidores" atuais que existem de certas seitas ou novas Igrejas (neo-pentecostais). 
E quanto ao Messias ele era mais um destes que estudaram um pouco de Teologia e se auto-denominam de pastores. Alguns sabem alguma coisa.Outros dizem muitas bobagens.
-O País estrá cheio deles.
Só que este barbudo e cabeludo do qual falo, não usava o título de Pastor,Apóstolo ou Bispo. Ele se autodenominava de Messias mesmo. Para ele aquela sua vida era apenas um trabalho,como qualquer outro. E se utilizava deste nome mais que famoso para convencer pessoas...
Enfim,para encurtar a história,por causa do meu trabalho e por causa dos problemas judiciais deles, numa ocasião o Pastor para o qual eu trabalhava me apresentou este "Messias". E foi exatamente no Fórum que eu o vi pela primeira vez,ao vivo e a cores,embora eu já ouvira ele no rádio.

Na verdade ele não deu "muita bola" para mim não. Me pareceu muito arrogante aquele Messias. 
Já pensaram num Messias arrogante ?
O certo é que eu, como advogado ativo e no exercício de meu trabalho,fiz o que tinha que fazer,olhei o processo deles no fórum e ao chegar em casa falei para minha cara-metade que eu havia "encontrado" o Messias ! 
Só que eu falei em tom de gozação.
- Eu disse :Aleluia,hoje eu encontrei o Messias  no Fórum!...
 Ela achou que eu estava brincando e deu uma "bronca" em mim,pois é destas evangélicas que vê blasfêmia em tudo.
Mas, na verdade eu estava brincando mesmo,pois nunca acreditei que aquele "Messias" fizesse algum milagre,como realmente nunca ouvi falar que fez.
Depois de um certo tempo, o Bispo que me contratara se mudou,foi para outro Estado e eu parei de trabalhar para esta "Igreja". Mas fiquei amigo dele.
Depois, em 2006/2007,ele apareceu e precisou de meus serviços para um problema pessoal dele e o atendi. Fiz uma petição, fiz a audiência e um acordo judicial e ganhei meu dinheiro honestamente. 
Depois ele sumiu de novo. Recentemente soube que está ,de novo,em outro Estado brasileiro.
Quanto ao Messias,nunca mais ouvi falar dele. E em 2010 para 2011,aquela secretária da Igreja que citei linhas atrás, me procurou para eu substabelecer um antigo processo para outros advogados,o que fiz.
A Igreja dela,do Messias e do Pastor para o qual eu trabalhei passou a ser mais Cristã,conseguiu uma sede na Capital e parou com aquelas estratégias de muletas nas paredes,programas no rádio e na TV. Hoje é uma Igreja mais simples,com objetivos religiosos e espirituais de fato. Não mais vi programas deles, nem no rádio nem na TV.

Estes dias,contando esta história para minhas filhas ,que agora já são também formadas em direito, resumi parte desta narrativa numa frase bem humorada: 
-O dia em que encontrei o Messias no fórum de Goiânia,GO,mas ele não me "converteu" !
Ou seja, ele não me fez mudar de religião. 
Nem ele nem o Pastor (Bispo) para o qual trabalhei por alguns anos.  
Eu continuo católico ,religião na qual fui batizado.
E o batismo,conforme aprendi, é só uma vez.
-Tal qual a nossa vida: 
-É só uma !
------------------------------------------------
P.S. Por se tratar de fatos verídicos, deixei de citar,de propósito,os nomes verdadeiros de todos os personagens desta história,para preservar suas privacidades e de suas famílias (A.G.)

 Reedição : A.G. - 05 de março de 2016
.