domingo, 16 de agosto de 2015

Quando o amor acontece... mas pode não ter futuro !

A moça,brasileira,estudiosa,ganhou bolsa de estudos e foi fazer pós-graduação no Japão. Até aí foi tudo bem...E para completar a "felicidade" dela,conquistou um "amor" japonês. Rapaz perfeito,segundo ela, e que após pouco tempo de namoro, passaram a morar juntos,obviamente que na cidade onde ela está no Japão. Afinal, ambos são maiores,capazes e hoje isto é normal .Ou seja,as pessoas passam a morar juntas,sem se casar. ....Até por lá !
E tudo ia às mil maravilhas,se não fosse um problema: O Curso de Pós-Graduação  da moça acabou e ela não vê outra alternativa se não voltar para o Brasil. Voltando ela terá emprego,liberdade e passará a conviver,de novo,com a família,com os amigos e amigas que fez aqui,enquanto estudante universitária,etc. E estará também ao lado dos pais,dos irmãos e no País onde nasceu,onde,inclusive pode se comunicar bem com as pessoas todas que falam sua língua,que, obviamente é o Português do Brasil.
Por outro lado,como disse estar "apaixonada", o seu "coração" quer manter este "amor",essa convivência sob o mesmo teto com o rapaz japonês de origem. Ele é morador da cidade Japonesa onde ela foi estudar. É gente boa ,trabalhador e já está empregado em uma empresa japonesa...
 Ou seja,uma boa pessoa para ser um "futuro marido",nas formas legais...
Mas há um impasse,ou melhor, dizendo três :
 1)- O rapaz,pelas questões acima,não quer vir morar  no Brasil. Toda sua família é de lá, e ele não quer viver fora do Japão.Nem tem perspectivas de emprego aqui. E ele não concorda com ela trabalhar fora,caso se casem !
 2)- A moça brasileira,inclusive pela dificuldade de adaptação, disse que não aprendeu o idioma Japonês,(Deve ter feito o curso de Pós-Graduação com os conhecimentos de inglês,que já tinha) e não concorda com o tipo de vida que eles,os japoneses, levam e já ficou sabendo que o rapaz,se vier a  se casar com ela, ela será apenas uma dona-de-casa
E já sabe que  ficará muito sozinha,no apartamento onde moram ....E sem amigas,aliás,como ela já vive. Isto porque o rapaz, viaja muito em seu País (Japão) a serviço da empresa na qual trabalha.
3)- Ela estudou ,se formou e fez pós-graduação para poder evoluir profissionalmente.Para ter mais conhecimentos e pôr isto em prática. Aqui no Brasil poderá fazer isto,pois já há perspectiva de trabalho para ela...
-E agora ? Como agirá nossa personagem ?
Diz estar apaixonada,que encontrou o"amor",mas este amor significa renúncia Renúncia ,principalmente aos seus sonhos profissionais ! Ela não é mais uma menininha,pelo que entendi, beira os trinta anos de idade.
Entretanto,se voltar,como é seu desejo,não mais terá este "amor" japonês,a não ser num namoro por correspondência,no qual ou ela irá lá uma vez por ano ou o rapaz virá aqui uma vez por ano... Afinal,uma passagem de ida e volta do Brasil ao Japão,ou vice versa,não é barata.
-Qual é a saída ?
Foi esta a pergunta que a moça fez a um programa de rádio,onde um "especialista" ,psiquiatra,responde perguntas através de E-mails que lhes enviam os ouvintes.
O especialista não teve resposta definitiva para ela,pois a questão não envolve só a Razão ou a Mente. E não apontou saídas viáveis,pois o caso envolve sentimentos,trabalho,profissão,e isto é muito pessoal. E o coração, às vezes, faz a pessoa tomar decisões que extrapolam os muros da Razão. Ou como diziam os antigos, "O Coração tem razões que a própria Razão desconhece !"
Eu,apenas como o "narrador" desta estória,pergunto à cada uma das leitoras deste meu  Blog:
- O Que você faria,numa situação desta? 
 1)-Ficaria morando no Japão e se casaria com o japonês perfeito,mas seria apenas uma dona-de-casa numa terra estranha, e ficaria sempre sozinha em casa, sem trabalhar fora,como ela mesmo mencionou ?
 2)-Terminaria este "caso" e se contentaria apenas em ficar com a lembrança de um "amor" que não vingou ... Ou seja,de um amor que "foi bom enquanto durou" ,e simplesmente voltava para o Brasil,para viver livre,trabalhar,pôr em prática o que aprendeu lá,e esperaria um novo amor ?
3)- Ou  voltaria para o Brasil, à velha forma de viver,entre os parentes amigos e colegas,trabalhando no que mais gosta  e apenas namorando o japonês por correspondência(via internet,telefone,etc.), à espera de uma"mudança" na atitude dele  
Ou em resumo : Esperando ele vir atrás dela,para se casarem e ficarem morando por aqui ? Alternativa que,segundo ela, dificilmente acontecerá,pelo que já conversou com este "amor" japonês ...

-Quem quiser responder,responda:
-O QUE VOCÊ FARIA?

A.L.G.  Reedição : 16 de agosto de 2015