quinta-feira, 8 de maio de 2014

TRAGÉDIA NA POLÍCIA CIVIL GOIANA COMPLETA DOIS ANOS

Todos nós que residimos em Goiás,soubemos da Tragédia que se abateu na Polícia Civil de Goiás há dois anos,quando o helicóptero em que viajavam 2 peritos,dois pilotos e 3 Delegados de Polícia caiu perto da Cidade de Piranhas,Goiás,no dia 08 de maio de 2012.  Nele também estava o preso Aparecido de Souza Alves, de 22 anos de idade, dito como psicopata,que dez dias antes havia assassinado 7 pessoas numa fazenda no município de Doverlândia distante uns 330 km de Goiânia,GO.
Foi uma tragédia atrás da outra, já que os Policiais,no ímpeto de fazer a reconstituição do Crime perpetrado pelo preso Aparecido de Souza Alves (acusado dos 7 homicídios) acabaram pagando com a vida,num acidente que causou comoção na Polícia Goiana. 
Morreram no acidente,além do preso Aparecido, que estava sob a custódia da Polícia, os Delegados da Polícia Civil, Antônio Gonçalves Pereira dos Santos, Jorge Moreira,de Goiânia, e o Delegado Vinícius Batista, de 32 anos de idade, que era titular de uma Delegacia da Cidade de Iporá,GO,responsável pelo Inquérito Policial que investigava os crime praticados pelo  Aparecido .
 Além destes três Delegados,morreram ainda o Piloto Osvalmir Carrasco Melati Júnior e o Co-piloto Bruno Rosa Carneiro,além dos Peritos  Fabiano de Paula Silva e Marcel de Paula Oliveira que eram primos. 
Ressalto aqui que conheci pessoalmente o Delegado Jorge Moreira,que fez um curso na Academia de Polícia,ainda nos anos 90, do qual cheguei a participar no começo, e também porque resolvendo um problema de um parente próximo, fui num Distrito,também nos anos 90,e falei com ele,que me ajudou a resolver tal problema.
E também sabia bem quem era o Dr. Antônio Gonçalves, o Delegado que resolveu o problema do Caso"Pedrinho" envolvendo a Sra. Vilma que falsificara documentos e sequestrara este menino ainda pequeno. Um caso que ficou conhecido nacionalmente.
 Esta tragédia foi um acidente,como ficou provado,mas que deixou grandes dúvidas, Falou-se em falha humana,falha técnica e até falta de combustível. Houve acusações contra a empresa que fazia a manutenção da aeronave e até que o Piloto titular teria se precipitado em retirar o avião antes de ser feita a tal manutenção. 
Tudo agora ainda é motivo de investigação do Cenipa e dos Órgãos de Segurança Pública  do Estado de Goiás.
O certo é que a própria investigação do crime acontecido na fazenda ficou prejudicada, pois com o principal acusado morto e até a perda de partes do processo,que se queimou no acidente do Helicóptero,difícil está se apontar outros culpados. Além disso, com o principal acusado morto, a lei prevê a extinção da punibilidade em relação a ele ,com o posterior arquivamento do processo. 
Restou para os parentes da vítimas,as ações judiciais para se receber Indenizações, que obviamente as famílias dos Policiais e também do preso acusado do crime(chacina) irão pleitear do Estado. Isto porque o Seguro obrigatório da Aeronave,foi pago em pouco tempo, para as famílias dos falecidos. Até a mãe do preso receberá sua parcela,pois o seu filho ,o Aparecido, embora tenha cometido a chacina,estava no helicóptero e sob a custódia do Estado.
O que agora se vê,passado tão pouco tempo, é que toda essa tragédia, já está caindo no esquecimento, superada a notícia inicial, que agora já se vê substituída por outras de maior interesse da população.
 É assim no mundo de hoje,no mundo da Mídia... Logo que surgem escândalos, principalmente envolvendo políticos, a TV, os Jornais e as emissoras de rádio, passam a dar um "tratamento" especial a estas notícias novas,colocando outras no esquecimento.
Obviamente que,para as família dos Policiais mortos, esta tragédia não será jamais esquecida.
E agora resta a todos, principalmente para os Policiais da ativa, da Polícia Civil Goiana, que uma "lição" tão cara como esta,sirva de alento,para que se tomem as precauções necessárias,quando houver outra situação idêntica ou parecida.

A.L.G.

Goiânia, GO, 08 de maio de 2014