quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

OS INOCENTES DE MÃOS SUJAS - 04 - Internacional

      Na semana passada,no noticiário internacional,o nome em evidência era o do Primeiro-Ministro Italiano Sílvio Berlusconni.     Este já é" figurinha carimbada" nos últimos anos,por sua vida de "bon vivant" e político corrupto,como são a maioria deles.   No caso dele tem até uma brasileira envolvida. A oposição de lá ,tenta, de todo jeito, tirá-lo do Poder. Mas ele é apenas o Primeiro-Ministro, e podem "derrubá-lo" e pôr outro no lugar,pois o Presidente Italiano continua.     É uma democracia parlamentarista,como a França,e a Alemanha.
Já ouvi muito sobre mandatários corruptos em vários países e isto não me é estranho mais. A maioria deles,quando chega a perder o cargos ou são expulsos de seus postos,seja de presidentes,primeiro-ministro ou de  ditadores,deixam para trás um rastro de fraudes,corrupções e dilapidação do  dinheiro público,como foi o caso de Nicolau Ceausescu na Romênia, de Noriega na Guatemala, de Duvalier no Haiti ,Ferdinand Marcos,nas Filipinas  ou agora do "grande" Osni Mubarak, que é Egípcio e está há trinta (30) anos como Ditador no país das Pirâmides.
Este,aliás, um grande cooperador e aliado de vários Presidentes americanos,desde a época do Reagan. Este Mubarak,que não é parente do Barak Obama dos E.U.A.(USA), vem sendo o grande "peso" nas relações sempre complicadas entre o Ocidente e o Oriente Médio,inclusive por que é no Egito que está localizado o canal de Suez.  Como Israel é o "protegido" dos Estados Unidos e fica alí,no meio dos árabes ,persas  (Irã) e demais mulçumanos, o Egito seria um ponto de equilibrio ,nas relações internacionais. 
 Mas  se o  " Patrão (E.U.A) mandar cantar com a língua enrolada : every body macacada" ! Ou melhor dizendo,se o Barak Obama mandar o Osni Mubarak entregar o cargo hoje, ele sai hoje mesmo.  E foge ,ou para Paris,ou para os EUA, ou quem sabe para o Brasil, o" paraiso dos ladrões ",desde o Ronald Bigs,aquele do "assalto ao trem pagador" ,da Inglaterra...
 Quanto ao Ditador Egípcio,ele já foi o "queridinho da hora",do povo. Agora esse mesmo  povo egípcio está cansado da ditadura dele. São trinta anos com pulso forte,mandando e desmandando,sempre contando com o poderio militar, que agora não está mais do lado dele. Já se sabe que nestes anos todos ele, Mubarak, "acumulou" uma fortuna de mais de 40 bilhões de dólares. Repito : Quarenta Bilhôes de dólares. Para mim é dinheiro roubado mesmo,do povo egípcio, que entre os muculmanos e de  outras seitas,são os mais ordeiros naquela região. Região bonita,de turismo e  na qual "entram" milhões de dólares de visitantes do mundo inteiro.  
Agora,a revolta está nas ruas. Querem que ele deixe o poder e o país até sexta feira,dia 04 de fevereiro,ou seja,amanhã. Amanhã é o dia "D" para eles.  E para o mundo também,pois esta "Revolução" Popular,que começou estes dias,inspirada na Tunísia, onde o povo forçou a queda do Primeiro-Ministro, está sendo uma revolta de toda a população egípcia,cansada de ver as injustiças e sedentos por eleições livres,um dos princípios  básicos da democracia.
Se eu,na minha insignificância,pudesse falar ao ouvido do Osni Mubarak,diria simplesmente : SAI LOGO!
Ele está apegado ao poder,como são todos os políticos corruptos,porque,com a queda dele,os "podres" e os seus "mofados" vão aparecer.
Para mim,aqui do outro lado do mundo,assistindo esta "novela" diária do noticiário internacional,resta apenas  comentar,e esperar pela queda dele,que é iminente. Ele vai ter de sair,deixar o cargo,entregar o poder para outro,que seja eleito pelo povo.
Saindo ele,acaba a revolta,pelo menos por enquanto. E evita mortes entre a população civil.
Nas eleições,marcadas para setembro e que podem ser antecipadas,serão eleitos novos políticos,que prometerão mudanças,soluções dos problemas, empregos,novos tempos, etc.  Se vão conseguir,só o tempo dirá....ou então,vai começar tudo de novo. 
Não se pode confiar nesses políticos...
Na Jordania, no Iêmen ou na Líbia e em outras ditaduras, pseudo-monárquicas ou não,  estes Reis e Ditadores que se cuidem,pois os exemplos da Tunísia (há uns dez dias atrás) e agora o caso do Egito,pode também respingar por lá,num efeito dominó, e desencadear revoltas populares de busca pela democracia,e por liberdade,como ocorreu com a Europa e Ásia,após a queda do Muro de Berlin,em 1989.
Quem viver verá.

ALG- 03 de fevereiro de 2011.